Autor

Jorge Faustino

Data: 29/09/2021

O local da falta

Poder esclarecer sobre as Leis de Jogo é a parte que mais me realiza no papel que desempenho junto dos media. Faço-o, principalmente, para os adeptos, mas também com a esperança, ou ilusão, de poder transmitir algum conhecimento a jogadores, treinadores, dirigentes, jornalistas e até ex-árbitros menos familiarizados com alguns pontos das Leis.

Hoje abordo, de forma breve, mas que espero esclarecedora, a questão do local onde uma infração deve ser punida (e executada). Faço-o de forma abstrata para que, depois, o leitor possa sustentar as suas opiniões sobre lances passados ou futuros.

Porque neste caso faz sentido, recordo que são muitas as questões relacionadas com as Leis que, estando em vigor, não estão inscritas no livro das Leis de Jogo: ou porque resultaram de esclarecimentos à Lei num qualquer momento no passado; ou então porque, por uma questão de simplificação do livro, foram retiradas do texto da Lei.

“Local onde é cometida a falta – Por esta expressão deve entender-se exclusivamente o sítio onde a ação faltosa teve o seu início.” Esta definição, atualmente em vigor e que é familiar (ou deveria ser) a todos os árbitros, apenas a encontrei escrita num livro de 1980. Mas é ela que serve de regra.

As exceções, como a que diz que “se um defensor começa a agarrar um atacante fora da área de penálti e prossegue a sua ação para o interior da área, o árbitro deve conceder um pontapé de penálti”, estão bem definidas na lei. Mas isso terá de ficar para outro artigo.

Fonte: Record