Autor

Jorge Faustino

Data: 07/04/2021

Dois centímetros

O Sporting, líder do campeonato, empatou com o Moreirense num jogo onde viu um golo anulado a Pedro Gonçalves por fora de jogo! A olho nu, e antes da colocação das linhas virtuais, parecia ser uma decisão mais ou menos pacífica. Mas, a partir do momento em que surgiram as linhas, a validar a decisão inicial do árbitro assistente, mostrando que o fora de jogo era de 2cm, instaurou-se a dúvida sobre se as linhas estariam bem colocadas e surgiu a discussão sobre o quão “justo” é anular um golo por um fora de jogo de 2cm.

Sobre a primeira questão, volto a recordar as indicações dadas aos VARs e AVARs em situações de foras-de-jogo por poucos centímetros: estes deverão, antes de comunicar a indicação final ao árbitro, colocar as linhas várias vezes para despistar algum erro humano no processo de colocação das mesmas. Assim, o mais provável, é que antes de vermos os tais 2cms da decisão final do VAR, na cidade do futebol as linhas tenham sido colocadas 2, 3 ou 4 vezes dando sempre (ou a maioria das vezes) uma posição irregular do jogador do Sporting, validando a decisão do assistente em campo.

Sobre o “quão justo” é a anulação de um fora de jogo por 2cm, respondo com uma questão que afasta uma resposta condicionada por clubites: seria justo Portugal perder a final do campeonato do mundo 2022 com um golo de um jogador que as linhas mostram estar 2cm em fora de jogo?

Fonte: Record