Autor

Jorge Faustino

Data: 24/01/2018

SPORTING – PORTO

½ Final – Taça da Liga

Arb: NUNO ALMEIDA

AAs: António Godinho / Paulo Ramos

ABaliza: Brunos Esteves / Hélder Malheiro

4Arb: Bruno Jesus

VAR: Artur Soares Dias (Rui Licínio)

5’

Danilo agarrou Bas Dost de forma ostensiva: primeiro puxou com a mão direita e, depois, envolveu o holandês com o braço esquerdo, impedindo a sua movimentação e provocando a sua queda. Bas Dost parece adiantado no momento do cruzamento e isso terá justificado a não intervenção VAR. Falta de Danilo acontece, no entanto, antes de Bas Dost tomar parte activa no jogo (alterações às Leis de Jogo 2017). Ficou penálti por assinalar.

14’

Felipe, sem possibilidade de chegar à bola, rasteirou Gelson pelas costas derrubando-o em situação que poderia ser de ataque prometedor. Falta correctamente sancionada. Ficou amarelo por exibir.

19’

Alex Telles projectou o seu braço e, de forma negligente, acertou com a mão esquerda na face Gelson. Comportamento antidesportivo do jogador do Porto que deveria ter visto cartão amarelo pela sua acção.

32’

Falta por sancionar de Felipe nas costas de Ruben Ribeiro

35’

Soares agarrou e derrubou Ruben Ribeiro quando este se preparava para entrar na lateral área do Porto em jogada prometedora. A falta foi correctamente sancionada. Ficou por exibir cartão amarelo.

36’

Soares, a passe de Sérgio Oliveira, apareceu isolado frente a Rui Patrício introduzindo a bola na baliza. Lance inicialmente validado, mas que o VAR acabou por anular. Lance dúbio, mas no qual se aceita a decisão final do VAR.

44’

William Carvalho chegou atrasado à disputa de bola e acabou por pisar o calcanhar de Herrera com algum perigo para a integridade física do mexicano. Falta negligente que mereceu, correctamente, o cartão amarelo.

50’

Oliver acertou com o braço na cara de Battaglia de forma que foi, no mínimo, negligente. Falta foi correctamente sancionada mas ficou a faltar a respectiva sanção disciplinar.

52’

Piccini agarrou

Correcta a advertência

56’

Oliver cometeu falta dura nas costas de Ruben Ribeiro cortando a possibilidade de um ataque prometedor. Falta bem assinalada. Correcta também a exibição do amarelo por comportamento antidesportivo.

75’

Fábio Coentrão, sem interesse em jogar a bola, rasteirou Marega derrubando-o e destruindo assim jogada de ataque prometedor. Não era clara oportunidade de golo porque Mathieu estava em cima da jogada. Decisão correcta em exibir amarelo.

AVALIAÇÃO GLOBAL

Gestão disciplinar muito desequilibrada em clássico onde os jogadores não facilitaram nesse capítulo. Pontapé de penálti não sancionado no início do jogo acabou por ser a decisão mais marcante do trabalho de Nuno Almeida. Decisão de anular golo ao Porto aceita-se, mas não segue a linha das intervenções do VAR, em Portugal, no que têm sido os lances dúbios de fora de jogo.

Fonte: Público