Autor

Jorge Faustino

Data: 15/09/2021

O tamanho não é importante.

Poderia dedicar este artigo ao prolongamento da discussão do murro propositado ou murro acidental. Não o vou fazer. É uma discussão que, neste momento, já pouco ou nada acrescenta ao nosso futebol.

Vou falar de centímetros e sobre uma questão quem me parece bem mais relevante para o nosso futebol.

No jogo Gil Vicente – Vizela foi anulado um golo por fora-de-jogo que foi assinalado pelo árbitro assistente. Assim, num contexto de arbitragem sem VAR, o golo teria sido anulado e ponto final. Ora, como temos VAR e linhas virtuais, pudemos confirmar a boa decisão do assistente: o atacante estava mesmo em posição de fora-de-jogo, por 1 centímetro. E foi aí que começou a discussão falaciosa sobre o VAR anular golos por 1 centímetro quando este apenas “confirmou” a decisão tomada em campo.

Normalmente não sou grande defensor da arbitragem inglesa (“inventam” muito na interpretação das Leis e os árbitros não são melhores que os nossos) mas têm uma medida que considero excelente: as linhas virtuais surgem sem referência aos centímetros. E isso, como vimos este fim-de-semana, pode evitar muitas discussões. Um jogador está fora-de-jogo ou não está. O “tamanho” do fora-de-jogo (centímetros) não é importante.

Fonte: Record