Autor

Jorge Faustino

Data: 15/11/2022

Melhor do mundo

Os portugueses estão, com muita regularidade, no topo da lista dos melhores do mundo em diversas áreas de atividade. O futebol tem confirmado esta verdade e temos visto, em particular nas últimas duas décadas, os nossos jogadores, treinadores e até árbitros em elevados patamares de sucesso e reconhecimento público.

Há, no entanto, funções que pelo seu papel aparentemente secundário não são destacadas com prémios ou rankings internacionais. Os árbitros assistentes são exemplo disso.

O Rui Licínio, assistente internacional de 48 anos (caso raro a nível mundial), é um dos melhores do mundo. Não são apenas os seus pares em Portugal que o dizem. Esse reconhecimento e admiração é de âmbito internacional e vem dos mais altos responsáveis pela arbitragem europeia e mundial.

O Rui, que poderia prolongar a sua carreira em Portugal até final da época, terá feito este domingo, ao que tudo indica, o seu último jogo. Fê-lo a acompanhado dos seus amigos e companheiros de tantas aventuras, Artur Soares Dias e Paulo Soares. Fê-lo da mesma forma como construiu a sua carreira, com competência, humildade e respeito por todos.

Isto é um artigo de opinião e, portanto, posso dizê-lo: Portugal tem, até ao dia em que o Rui formalizar o fim da sua carreira, o melhor árbitro assistente do mundo no ativo.

Fonte: Record