Autor

Jorge Faustino

Data: 21/10/2020

Interpretações (c/ vídeo)

Um penálti e uma expulsão que existiram durante alguns minutos e que, depois de uma intervenção do VAR e respetiva ida do árbitro ao monitor, deixaram de existir são o grande tema da jornada, da semana e, prevê-se, que das próximas semanas.

Não vou neste espaço voltar a refletir sobre o lance pois já o fiz em duas edições anteriores do jornal. Recordo apenas que é minha opinião que, pela tipologia do lance, aceito a decisão do árbitro (qualquer que ela tivesse sido) e discordo da intervenção do VAR.

Independentemente da opinião que cada um possa ter do lance, e mais importante que este caso em si, o que considero importante retirar de toda esta discussão é o fato de que, efetivamente, o protocolo está bem pensado desde o seu início: o VAR apenas deve intervir em lances de erros claros e óbvios.

Muitas vezes o videoárbitro é criticado por não intervir em decisões algo dúbias e que “mereciam que o árbitro tivesse oportunidade de as analisar”. Aprendemos com este caso, ou fomos recordados, que em lances cinzentos, o futebol (entenda-se, todos nós) é mais capaz de aceitar uma primeira decisão do árbitro em campo, mesmo que discutível, do que uma alteração de uma decisão num lance onde haja margem para interpretações diversas.

Recorde o lance:

Fonte: Record