Luís Guilherme: «São os únicos amadores»



Luís Guilherme, presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), não se coíbe de lançar algumas críticas ao facto de a profissionalização da classe não se ter concretizado. “De uma vez por todas há que assumir que os árbitros são os únicos amadores num estrutura profissional. Não é só dizer que os árbitros vão ser profissionais e fazer disso bandeira de campanha. É necessário dar-lhes uma série de condições.”
Questionado sobre o facto de alguns árbitros e assistentes terem deixado os seus empregos ou terem pedido redução de horário para poderem integrar o projeto de profissionalização (que já não se concretiza agora), Luís Guilherme assevera: “Os árbitros continuam a ser amadores e a terem de conciliar os empregos com a arbitragem. As condições oferecidas para o projeto não foram aceites, pois eram semelhantes às anteriores...”
O líder da APAF prossegue referindo-se à tabela de prémios: “A questão está ainda em aberto.”
Por seu lado, o presidente da CA da Liga, Vítor Pereira, que liderou o projeto de profissionalização, garante que “a Liga, através da sua direção, vai apresentar ao Governo uma proposta para regulamentar a questão da profissionalização. No entanto, os contornos do projeto ainda não estão definidos.”

Fonte: Record