APAF sem candidatos…

O prazo para a entrega de listas para os órgãos sociais da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) terminou ontem, sem que qualquer candidato tenha avançado - nem mesmo Paulo Paraty, que recentemente se assumira como tal. O anúncio do ex-internacional portuense fez recuar Luís Guilherme, primeira escolha da classe, e provocou um mal-estar que estará na origem do vazio que obriga a uma segunda convocatória. Olegário Benquerença, presidente da Assembleia Geral da APAF, estima que o processo eleitoral possa ser concluído "durante o mês de Fevereiro" e, apesar de lamentar este atraso, não ficou surpreendido. "A grande maioria dos árbitros gostaria de ver Luís Guilherme à frente dos destinos da APAF. Perante o que é conhecido da disposição de Paulo Paraty, Luís Guilherme não avançou e agora verifica-se que Paulo Paraty se limitou a atirar tiros de pólvora seca", concluiu o internacional de Leiria.
Contactado por O JOGO, Paulo Paraty não quis comentar o assunto,António Sérgio, presidente da APAF, manifestou a esperança de que o adiamento permita o "consenso entre as várias sensibilidades, a fim de se escolherem as melhores pessoas para os melhores lugares", numa alusão à alteração da representação da classe na AG da Federação, que alarga a seis elementos a representação dos juízes.

in: O jogo