UEFA continua com o apoio ao combate do racismo

Um evento apoiado pela UEFA no Montenegro vai receber equipas jovens oriundas da Albânia, Bósnia-Herzegovina, ARJ da Macedónia e Sérvia, num espírito de respeito intercultural e compreensão.

Um festival de futebol contra o nacionalismo, chauvinismo e intolerância nos Balcãs – apoiado pela UEFA e várias das suas federações-membro – vai realizar-se nos dias 7 e 8 de Agosto em Kotor, no Montenegro.
Seis equipas jovens (Sub-14 ou Sub-15) de Albânia, Bósnia-Herzegovina, ARJ da Macedónia e Sérvia vão encontrar-se e competir com os dois anfitriões montenegrinos, o Kokelj Kotor e o Kom Podgorica. Duas das equipas participantes são constituídas por outras tantas etnias diferentes – de Mostar, na Bósnia-Herzegovina, e uma formação composta por jovens romenos e macedónios.
"Workshops" interculturais e grupos de discussão envolvendo os jovens e os respectivos treinadores vão decorrer ao mesmo tempo que o evento desportivo, e vão oferecer uma oportunidade para um debate detalhado sobre o racismo e o nacionalismo. Um panfleto contendo mensagens de jogadores bem conhecidos do grande público, contra o racismo e o nacionalismo nos Balcãs, vai ser distribuído durante o torneio.
A UEFA está a ajudar a financiar o evento, como parte das suas actividades anti-racistas, em cooperação com as suas federações-membro. As federações da Bósnia-Herzegovina, Montenegro e Sérvia contribuíram para a realização do festival.
O embaixador do evento, organizado pelo Projecto Balcânico Alpe Adria, é o futebolista internacional montenegrino Branko Boškovic. "Estou muito feliz por apoiar este torneio", disse. "Com o poder e força do futebol temos um instrumento para combater o racismo, discriminação e nacionalismo. O futebol é um desporto para todos: origem, cor da pele, religião, rapaz ou rapariga, velho ou novo – nada disso conta".
"Gostaria de destacar que não importa quem vença o torneio – é importante, isso sim, que todos os participantes contribuam para o objectivo conjunto de combater a discriminação e o nacionalismo, e que levem para casa o espírito do respeito intercultural e da compreensão".

Fonte: UEFA