Reunião de Verão de Árbitros de Topo da UEFA iniciou com um processo de revisão e de antevisão para preparar os árbitros




A nova época das competições europeias e a fase de qualificação do UEFA EURO 2012 aproximam-se rapidamente, e os árbitros europeus juntaram-se à UEFA na Eslovénia, esta semana, para um processo de revisão e antevisão alargado, estabelecido para garantir que os juízes estão devidamente preparados para as tarefas que têm pela frente.
A oitava Reunião de Verão de Árbitros de Topo da UEFA teve início em Ljubljana, capital da Eslovénia, com o desejo comum de manter e, tanto quanto possível, melhorar os padrões de qualidade durante os próximos meses. Como os árbitros de topo são agora considerados atletas em termos físicos no futebol moderno, a reunião na Eslovénia inclui testes físicos e medições de massa corporal. Para além disso, debates em grupo vão permitir aos juízes dar a sua opinião à UEFA acerca de vários assuntos que os afectam directamente.
O Comité de Arbitragem da UEFA criou um programa alargado para os árbitros de Elite e de primeira categoria, bem como para os de segunda categoria. Resumos em vídeo de jogos da UEFA Champions League e da UEFA Europa League vão ser utilizados para destacar situações específicas de jogo, com a atenção centrada em aspectos como simulações, mão na bola e discussões. "Temos o dever de proteger a imagem do jogo", disse o delegado de arbitragem da UEFA, Hugh Dallas, que também destacou a importância de uma abordagem consistente ao processo de decisão em situações como essas e de manter o equilíbrio ideal entre controlar os jogadores dentro do relvado e tomar medidas disciplinares apropriadas.
A UEFA vai beneficiar com as discussões em grupo que envolvem os árbitros de Elite e de primeira categoria. "O Comité de Arbitragem deve ouvir os árbitros mais experientes", explicou Dallas. "Foi reunida informação da época passada e queremos saber a opinião deles".
Um aspecto que tem merecido especial atenção na Eslovénia é a experiência com mais dois árbitros-assistentes, que vai continuar nas competições europeias durante as duas próximas épocas. Desse modo, na tradicional equipa de arbitragem, composta por um árbitro principal, dois árbitros-assistentes e um quarto árbitro, vão ser incluídos mais dois assistentes. Estes colocam-se ao longo da linha-de-fundo, junto à baliza, e têm como função particular a detecção de incidentes que ocorram na grande área.
"Esta é uma experiência que a UEFA está a levar muito a sério", afirmou Dallas. Os árbitros da segunda categoria vão ser informados das directrizes relevantes estabelecidas pelo International Board (IFAB), enquanto a UEFA também está desejosa de partilhar informação com os árbitros que já tenham dirigido jogos com mais dois assistentes. A experiência foi levada a cabo em 200 encontros da UEFA Europa League da época passada, e foi retomada já este ano, no "play-off" da UEFA Champions League e na SuperTaça Europeia, que decorreu no Mónaco, na passada sexta-feira.
O primeiro vice-presidente da UEFA, Şenes Erzik, e o presidente da Federação Eslovena de Futebol (NZS), Ivan Simič, desejaram boa sorte aos árbitros, naquela que é, seguramente, uma época de testes nas competições europeias e nos jogos de selecções. Depois, o director do sector de arbitragem da UEFA, Pierluigi Collina, recordou aos árbitros que a condição física é um factor essencial para realizarem boas exibições.
"Vamos exigir-vos mais, porque precisamos de mais", disse Collina aos juízes. O teste físico dos árbitros de Elite e de primeira categoria é visto como uma componente fulcral dos preparativos para a próxima época. "Não podemos considerá-los apenas árbitros, mas também atletas de alta competição", sublinhou Collina. O italiano vai ser auxiliado por mais dois delegados da UEFA, o escocês Dallas e o francês Marc Batta, que vão dedicar o seu tempo não apenas a trabalhar no Comité de Arbitragem, mas também nas nomeações e outros aspectos estratégicos e técnicos da arbitragem europeia.

Fonte: UEFA