Lucílio Baptista ameaçado de morte

Esclarecimento: A notícia que abaixo reproduzimos podia ser de um país de terceiro mundo mas... acontece em Portugal!
Lucílio Baptista está a passar maus momentos. Ao que o Diário de Notícias apurou, o juiz setubalense foi alvo de várias ameaças telefónicas, por sms, mas o que deixou realmente preocupado o árbitro internacional foi um e-mail recebido durante o dia de ontem que ameaçava a sua integridade física bem como do seu núcleo familiar.
O árbitro da final da Taça da Liga tinha previsto deslocar-se a Queluz de Baixo, onde ficam situados os estúdios da TVI, contudo, a ameaça por e-mail deixava claro que o juiz estava por sua conta e risco caso se dispusesse a ir ao canal privado. Esta foi mais uma entre várias intimidações, com extrema agressividade, recebidas por Lucílio Baptista.
Mal esta sequência de ameaças ganhou forma, o árbitro remeteu--se à sua residência, situada na margem Sul do Tejo, por aconselhamento da Liga de Clubes. a quem deu conta do que se tinha passado e das ameaças recebidas assim como do teor das mesmas. Aliás, o organismo que tutela o futebol profissional em Portugal esteve em permanente contacto com Lucílio Baptista, numa espécie de apoio à distância.
Ainda assim, Lucílio, que insistiu em deslocar-se aos estúdios da TVI, não o fez, em grande parte, devido à pressão familiar.
Não deixa de ser curioso que Lucílio Baptista fez ontem a sua vida normal. Foi trabalhar, em Lisboa, no Banco Espírito Santo, sem problemas, e só quando regressou a casa é que percebeu a avalanche que estava criada e que perturbava o seu núcleo familiar.
Hoje Lucílio Baptista tinha agendada uma intervenção na Faculdade de Rio Maior, junto dos alunos de Psicologia, que, entretanto, cancelou. O seu substituto foi encontrado à última da hora; o também árbitro da Associação de Futebol de Setúbal, Bruno Paixão.
Luís Guilherme, presidente da APAF, criticou ontem os dirigentes e jogadores do Sporting pela maneira como actuaram depois do encontro. Segundo o dirigente, agora a Comissão Disciplinar da Liga terá de agir em conformidade com as leis.
"No final do jogo houve muitos que produziram afirmações que são incompatíveis nesta profissão. Esperamos que a Liga accione os mecanismos para que, se houver pessoas que tenham de ser penalizadas pelo que fizeram, o sejam", disse ao DN.
in: Diário de Notícias