FIFA quer acabar com exaltações públicas de fé

A FIFA está a estudar a possibilidade de proibir qualquer tipo de exaltação pública de fé por parte dos jogadores presentes no Mundial de Futebol da África do Sul.
Tal decisão poderá ter como origem a situação ocorrida na Taça das Confederações, em que os futebolistas brasileiros, liderados por Kaká rezaram após o triunfo sobre os Estados Unidos, originando comentários de Jim Stjerne, líder federativo da Dinamarca, que afirmou que a religião não tem espaço no futebol, afirmação com a qual Joseph Blatter, actual presidente da FIFA, concordou.
Eddio Constantini, presidente da Fundação João Paulo II afirma que é um erro afastar do futebol os valores éticos da fé crist e que a igreja católica defende há séculos.
Constantini considera ainda que Blatter e a federaçãoo da Dinamarca estao equivocados, esperando que reconsiderem esta ideia.