UEFA recomenda silêncio ao árbitro do Chelsea-FC Barcelona

A UEFA recomendou hoje ao norueguês Tom Ovrebo, que arbitrou o jogo Chelsea-FC Barcelona, da segunda mão da meia-final da Liga dos Campeões de futebol, que se mantivesse em silêncio até à conclusão do inquérito em curso.
O organismo máximo do futebol europeu resolveu proceder a um inquérito na sequência dos incidentes ocorridos durante e após o jogo, no qual o árbitro norueguês foi o principal protagonista, devido a várias decisões controversas que motivaram enérgicos protestos dos jogadores do Chelsea e dos seus dirigentes.
"A UEFA pediu ao sr. Ovrebo para não fazer quaisquer declarações à imprensa sobre as decisões que tomou durante o jogo e os acontecimentos que ocorreram no final daquele", explicou um porta-voz da federação norueguesa, Roger Solheim.
O árbitro norueguês é acusado pelo Chelsea de não ter apitado três penaltis a seu favor, o que suscitou protestos vigorosos dos jogadores londrinos, em particular Ballack, depois de ter rematado contra o braço de Touré na grande área já em período de compensações, e Drogba, este já no final da partida.
A arbitragem de Tom Ovrebo suscitou uma onda de indignação em Inglaterra, da qual a imprensa britânica fez eco, além das ameaças de morte que o juiz norueguês recebeu após o jogo. Segundo o antigo árbitro internacional inglês Graham Poll, em declarações à imprensa britânica, Tom Ovrebo teve de deixar Inglaterra sob escolta policial.
in: O Jogo