International Board discute alterações às Leis de Jogo

A discussão sobre os métodos tecnológicos que permitam determinar se uma bola ultrapassou totalmente a linha de golo num jogo de futebol é um dos pontos da agenda do "conservador" International Board, que se reúne sábado.
A 123ª reunião anual do International Board (IFAB), na cidade norte-irlandesa de Newcastle, pode marcar uma viragem à insistente aversão dos "guardiões" das leis do jogo às novas tecnologias como recurso de auxílio às equipas de arbitragens.
As tecnologias que permitam confirmar, ou não, um golo, serão um dos temas em discussão mas não serão alvo de qualquer votação, embora mostre que, só pelo facto de figurar na agenda, por sugestão da federação escocesa, a IFAB poderá estar aberta a seguir os mesmos passos de outras modalidades que já aderiram oficialmente às tecnologias, como o ténis ("olho de falcão") ou o râguebi (recurso a imagens televisivas).
Fundada em 1886, a IFAB é composta por membros das federações inglesa, escocesa, galesa e norte-irlandesa, bem como representantes da FIFA.
Nas votações, cada organismo britânico tem direito a um voto, enquanto a FIFA, que representa 204 filiados, a quatro, sendo necessário a maioria de três quartos para aprovar qualquer proposta.
Na mesa de votação estarão temas como o número de substituições, que poderão passar de três para quatro caso seja necessário recorrer a um prolongamento para definir o vencedor de um encontro ou eliminatória.
Outra das regras que poderá mudar é o período máximo para intervalo, fixado actualmente em 15 minutos e que poderá dilatar para os 20, um alargamento, proposto pela FIFA, justificado pelo facto de em alguns estádios os balneários estarem muito distantes do campo de jogo.
A lei do fora-de-jogo pode também sofrer uma ligeira rectificação no que respeita aos jogadores defensores que saem deliberadamente de campo para forçarem a posição irregular ao adversário que ataca.
Nesta situaoção particular, a emenda, também proposta pela FIFA, sugere que todos os jogadores defensores que saiam das quatro linhas sem autorização do árbitro serão considerados como estando em jogo na linha de golo ou linha de fundo do campo.
A FIFA também deseja oferecer mais liberdade aos treinadores, que, segundo a regra actual, têm de abandonar a área técnica logo depois de terem dado instruções para o campo.
A proposta de alteração levanta a obrigação de regressar ao banco, pelo que os técnicos poderão acompanhar o encontro sempre de pé, desde que o desejem e não violem os limites da área técnica.
Embora não seja matéria para votação, a possibilidade de um jogador admoestado com um cartão amarelo ser suspenso do jogo temporariamente, também será alvo de discussão entre os membros do IFAB, por proposta dos norte-irandeses.
A FIFA também apresentará para discussão o relatório da experiência conduzida pela UEFA em algumas fases de qualificação (Eslovénia, Hungria e Chipre) para o Europeu de sub-19, que incluíram mais dois árbitros (um em cada linha de fundo).

In: O Jogo