Autor

Jorge Faustino

Data: 02/11/2022

A tua mãe havia de morrer

Esta é uma das frases que ouvimos da boca de um atleta num vídeo que o Gil Vicente lançou nas redes sociais durante a passada semana. Vídeo criado no âmbito de uma campanha do clube que pretende alertar para a xenofobia, racismo, ódio e outros tipos de intolerância que não deveriam ter lugar no futebol.

O que essa preta está fazendo aí? Vai para a tua terra! Vai lavar loiça! Palhaço! És um lixo! Não vales nada! A tua mãe, tu e a tua família haviam de morrer! Vai à merda! Filho da puta!

São estas palavras (insultos) que podemos ouvir nos estádios e campos do nosso país, dirigidas a profissionais de futebol, mas também a meninos e meninas que só querem fazer aquilo que amam: jogar à bola. Palavras tantas vezes encaradas como um libertar de emoções aceitável num contexto da paixão do futebol. Palavras que não podem ser aceitáveis. Não podem ser justificadas. E não podem ser permitidas.

Deixo-as aqui escritas, talvez de forma demasiado brutal, porque a realidade é brutal e para que ao lermos possamos ter vergonha daquilo que estamos a fazer ao nosso futebol e à nossa sociedade.

Parabéns aos Gil Vicente pela iniciativa e aos atletas que tiveram a coragem de dar a cara. Que nunca deixemos morrer este amor que nos une. Vamos dar vida (com respeito) àquilo que nos faz feliz.

Fonte: Record